Pessoal usando ferramenta para alizar cimento

Listamos táticas para te ajudar a controlar os gastos e terminar seu projeto sem entrar no vermelho

Uma das reclamações mais comuns que se ouve de quem está realizando uma obra é a dificuldade de não estourar o orçamento. Para evitar este problema é preciso um bom gerenciamento de custos e uma análise cuidadosa de todos os passos e materiais necessários no projeto. Mas, como fazer isso? Listamos algumas dicas para te ajudar nesta tarefa:

  1. Contrate um profissional especializado para elaborar o seu projeto
    Em um primeiro momento você pode achar que contratar um arquiteto ou engenheiro é um gasto extra e dispensável, mas estes profissionais serão primordiais para a sua obra. Eles são responsáveis por olhar o projeto como um todo, considerando desde aspectos estruturais e de infraestrutura, aos funcionais e estéticos. Eles também analisam quais documentos são necessários para deixar a sua obra em conformidade com as leis e emitem os Registros de Responsabilidade Técnica, evitando possíveis embargos pela prefeitura e/ou condomínio. Por isso; para a segurança não só do seu bolso, mas dos futuros moradores; a elaboração de um projeto e o acompanhamento de um profissional habilitado são imprescindíveis. Eles podem também cuidar de todo o trâmite de regularização e aprovação do projeto junto a prefeitura e demais órgãos responsáveis. Além disso, são esses profissionais que fazem a interpretação da necessidade do cliente de forma que o projeto retrate essa expectativa. Com o projeto em mãos é possível desenvolver a quantificação de materiais e o cronograma, evitando desperdícios ou compras desnecessárias.
  2. Estipule seu limite de orçamento
    O profissional deverá realizar uma reunião para pedir um resumo (briefing) do que você deseja para o projeto. Nesta reunião é importante que você o informe, mesmo que aproximadamente, sobre o montante que pretende gastar (limite orçamentário). Dessa forma ele cria um projeto possível para o seu orçamento, prevenindo futuras frustrações e gastos fora do planejado. É importante que não haja modificações de projeto durante a obra, pois isto impacta diretamente nos custos, uma vez que tudo já foi projetado tendo como base as suas expectativas orçamentárias. Por isso, a fase do projeto é extremamente relevante, já que permite simulações e alternativas para escolha. Uma vez definido e aprovado o projeto para execução, alterações, se permitidas, acabam sendo problemáticas e com grande impacto financeiro.
  3. Pesquise muito antes de comprar
    A hora de orçar os materiais é uma das preferidas dos futuros moradores. São eles que darão vida ao que foi idealizado, por isso, reforçando o tópico anterior, nada de comprar itens muito fora do que foi aprovado em projeto. O ideal é consultar o valor da lista completa em diversos estabelecimentos, pois os preços podem variar bastante de uma loja para outra. Com todos os números em mãos, é mais fácil calcular uma maneira de economizar. Concentre e negocie grandes compras para facilitar sua força de barganha ao invés de comprar pequenas quantidades em diversos fornecedores.
  4. Registre tudo
    Alguns detalhes se perdem ao longo do processo. É bom ter todas as informações registradas em um local de fácil acesso. Gastos com materiais e mão de obra, despesas de transporte, prazos de entrega dos fornecedores e documentos relacionados a cada uma das etapas do serviço (projetos, propostas, contratos, notas fiscais etc.). Além da documentação arquivada, se esse controle estiver em algum programa específico ou planilha, melhor ainda!
  5. Contrate mão-de-obra da sua confiança
    Muitas vezes o estouro do orçamento tem a ver com atrasos nas entregas das etapas do projeto, que costumam ser consequência de uma baixa produtividade. Existem até casos de funcionários que abandonam a obra antes da conclusão. Por isso, é importante trabalhar com pessoas que você já conheça ou com uma empresa experiente e renomada com cases de sucesso e preferencialmente certificada. Muitas pessoas acabam fazendo contratações informais ou apenas com propostas genéricas, sem um contrato que detalhe o serviço que será prestado, prazos, valores e todas as condições negociadas durante a contratação. Mesmo que você contrate um profissional ou empresa de confiança, tudo deve ser devidamente formalizado de forma a dar clareza sobre as expectativas e entregáveis, assim como reduzir o risco de problemas futuros.
  6. Tenha um estoque bem controlado
    É preciso tomar cuidado não apenas com a entrada e saída de materiais, mas também com o armazenamento dos produtos e ferramentas. Isso evita que estes itens se estraguem, diminuindo o desperdício. Por exemplo: algumas ferramentas e materiais como cimento e rejunte não podem ficar expostos a umidade. Outra preocupação relevante é com roubo ou furto e, por isso, deve-se ter muita atenção com a segurança do local de armazenamento desses materiais.
  7. Não tome chá de sumiço. Contrate o gerenciamento de projeto e de obra
    É importante visitar a obra com frequência para ver se surgiu algum imprevisto e se o projeto está sendo seguido conforme planejado, dentro do cronograma físico e financeiro. O serviço de gerenciamento de projeto é o responsável pela validação e adequação dos projetos, considerando as alterações de revisão das diversas áreas envolvidas (arquitetônico, hidráulico, elétrico, etc.), analisando eventuais interferências e sugerindo soluções. Além disso, existe o serviço de gerenciamento de obra que acaba sendo imprescindível para garantir a qualidade de execução. O profissional responsável por esse serviço acompanha o cronograma físico e financeiro de forma a avaliar eventuais desvios para promover ações preventivas e corretivas.
  8. A escolha da data também é importante
    Períodos chuvosos e frios tornam a obra mais lenta, pois aumentam o tempo necessário para a secagem de alguns materiais ou impedem que alguns serviços sejam feitos. Escolha um período para a sua obra em que essas condições sejam mais raras.

No responses yet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *